Alergia a LTP (Proteínas transportadoras de lipídios)

Onde podemos encontrar as LTPs?

  1. Alimentos vegetais
  • Frutas: Pêssego, damasco, cereja, maçã, ameixa, morango, pêra, uva, limão, laranja, tangerina, banana, kiwi, framboesa, amora e romã.
  • Legumes:Repolho, couve-flor, brócolis, repolho, espargos, alface, tomate, cenoura, aipo, salsa, nabo
  • Cereais:Milho, trigo, cevada….
  • Frutos secos:Amêndoa, avelã, castanha, sementes de girassol e castanha.
  • Legumes:Feijão, feijão brancas, amendoim, soja, feijão.
  • Sementes e especiarias:Mostarda, linho, açafrão-da-índia e erva-doce.
  1. Pólens (“síndrome pólen-fruta”)
  • Plantas daninhas: Artemisia, Parietaria e Ambrosia.
  • Árvores: Oliveira e Banana de sombra.
  1. Outras fontes vegetais: látex

Alergia à LTPs

Diagnóstico

O diagnóstico de alergia à LTPs se encarrega o alergistas através da história clínica, testes cutâneos por picada (técnica laríngea-laríngea) e testes serológicos (IgE específica). Embora em muitos casos, devido à grande reatividade cruzada das LTPs com pólen se produzem falsos positivos pelo que pode ser necessária uma prova de exposição com o alimento em condições controladas.

Existe também uma técnica de detecção denominada microarrays, em que são utilizados componentes biomecânicos (biochips) que são capazes de analisar moléculas específicas, em 50 micrólitos de sangue (2 gotas), quando existem vários alérgenos diferentes.

Manifestações clínicas da alergia à LTP

Geralmente aparecem de forma imediata, geralmente antes de 1 hora depois de ter ingerido o alimento. Podem ser:

  1. Locais
  • Faringe: a Síndrome de Alergia Oral (SAO), coceira oral ou orofaríngeo após a ingestão.
  • Gastrointestinais: náuseas, vômitos, dor abdominal e/ou diarreia.
  • Pele: urticária, prurido.
  • Trato respiratório: rinite (nariz), conjuntivite (olhos), asma (pulmão).
  1. Gerais:
  • Edema de glote
  • Anafilaxia

Cofactores

Há situações que ocorrem durante ou logo após a ingestão do alimento alérgeno, podem desencadear os sintomas. Estas situações são:

  • Exercício
  • A ingestão de anti-inflamatórios não esteróides (medicamentos anti-inflamatórios)
  • Álcool e outras drogas (maconha, haxixe)
  • Situações hormonais (gravidez ou menstruação)
  • Também o estresse e o cansaço podem atuar como co-fatores

Suspeita-Se que o mecanismo responsável consiste na aceleração da absorção do alimento no intestino e, assim, cheguem a modular a severidade dos sintomas. É por isso que quando as LTP estão envolvidas, se os cofactores não se detectam e previnem, podem representar um sério risco para o desenvolvimento de episódios de anafilaxia severos ou fatais.

Tratamento

  1. Medicação de resgate:

Se você tem uma grande sensibilidade ou tiver sofrido algum quadro grave de alergia, como a anafilaxia, você deve levar cheios de adrenalina para auto-administração, se necessário. Tu médico deve pautártela.

  1. Imunoterapia e medicamentos:
  2. Alguns estudos sugerem que a imunoterapia (vacinas) pode melhorar os sintomas alérgicos causados pelo alimento, mas os resultados são controversos. Também, o uso do medicamento omalizumab oferece possibilidades promissoras.
  1. Dieta de vacância:

Se pautará em função do grau de tolerância que se tenha os alimentos envolvidos. Às vezes se toleram descascados, lavados ou em calda e, outras vezes, convém evitar os alimentos vegetais que produzem sintomas como os alimentos que possam conter (iogurtes, bebidas, sobremesas industriais, etc.).

O grau de vacância e o nº de alimento/s que se devem evitar, não será sempre o mesmo e vai depender fundamentalmente de:

  • Perfil de sensibilização do paciente
  • Clínica do paciente
  • Existência de factores

É importante saber, que não devem ser excluídos da dieta todos os alimentos que levam LTPs. Só têm de eliminar aqueles que o alérgico fez reação ou que pertencem à mesma família. Por isso, é fundamental uma boa avaliação do médico especialista e um aconselhamento por parte de um nutricionista-nutricionista.

Se precisar de aconselhamento para seguir uma dieta personalizada para pessoas com alergia às LTPs, em Alimmenta você encontrará uma equipe de nutricionistas-nutricionistas especialistas em alergias e intolerâncias.

Exemplo de dieta semanal para pacientes com alergia à LTP

Abaixo você tem um exemplo de uma dieta para um paciente com alergia à LTP. É apenas um exemplo, já que, devido à particularidade de esta patologia, é necessário personalizar o tratamento dietético em cada caso.

sintomas e sinais de anafilaxia ltp

Proposta exemplo de cardápio semanal para o paciente com alergia à LTP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *