Colaboração entre Belvita e Alimmenta

belvita-alimmentaDurante o mês de novembro, a campanha na imprensa de biscoito Belvita, pode-se encontrar a nossa Directora Técnica, Joana Manuel González, falando sobre a importância de um bom pequeno-almoço. Não é a primeira vez que uma marca de grande consumo põe-se em contato conosco para fazer uma colaboração, mas sim que é a primeira vez que nós aceitamos. O que teve de especial Belvita para trabalhar juntos?:

  • O produto gostamos: são biscoitos com uma boa composição nutricional, tanto dos cereais que usam (5 variedades integrais), como o óleo que usam.
  • Os reclames publicitários são corretos e contam com um respaldo científico. A mensagem “Energia durante toda a manhã” é autorizado pela UE em base a sua composição em carboidratos de absorção lenta (IG de 45 a variedade de cereais e leite).
  • A sua comunicação é baseada em um café da manhã completo no que incluem produtos lácteos, frutas e um pacote individual de 4 biscoitos de 50 gramas.
  • O rigor na hora de comunicar os benefícios do produto e a importância de um “café da manhã inteligente”.
  • As pessoas com as quais tivemos contato, tanto da agência como da marca. Uma comunicação clara e sincera desde o primeiro momento nos permitiu trabalhar de forma ágil e estar todos contentes com o resultado.

Nossa missão como empresa é “melhorar a saúde das pessoas através de uma alimentação natural e equilibrada”. A comunicação das vantagens de uma alimentação saudável faz parte do nosso DNA como uma empresa e Belvita nos permitiu levá-lo a cabo, mantendo nossos valores profissionais.

Colaboração na revista Crescer Feliz

Crescer feliz proteínasNa revista Crescer Feliz deste mês de maio, você pode ler um artigo em que se fala sobre a introdução de proteínas na alimentação dos bebês (6-12 meses) e o que aparece como assessora nossa companheira Júlia Farré. Neste caso, houve um erro, já que o artigo que enviou nossa companheira não foi publicado e foi substituído pelo que você pode ler se pincháis a imagem. Este último contém várias imprecisões que queremos esclarecer:

  • No artigo falam de que as carnes vermelhas não devem dar até aos 5 anos e, em troca, incluem a carne de vaca, desde os 6 meses e o porco e o borrego desde o ano.
  • Citam como alimento “carne branca”, que é carne de vaca jovem, mas continua a ser a carne vermelha e pode dar lugar a mal-entendidos.
  • A ração que propõem de 50-70 g é excessiva para um bebê. Tem que começar por 30 gr. Dizer que as carnes, que citam são digestivas também é errado.
  • Dizer que uma vez que começa a mastigar, há que dar-lhe hambúrgueres e almôndegas em pedaços muito pequenos é errado. Se mastiga, há que dar-lhe pedaços normais e que aprenda o bebê para quebrá-las e masticarlos. Não há que dar-lhe pedaços do tamanho de um adulto, mas não pedaços pequenos.
  • O artigo fala sobre o presunto de York, dizendo que é mais gorduroso do que pensamos e que se deve dar a partir do ano. O presunto de York é um produto com baixo teor de gordura e é introduzido com o resto das carnes. As papinhas da Nestlé para crianças de mais de 6 meses incluem o presunto York entre a sua composição.
  • Também não se deve dizer que as carnes vermelhas são difíceis de digerir, elevam o colesterol e que tem um sabor forte, porque eles são alarmantes para os pais, além de ser totalmente errado.
  • O conselho prático que dão, falam sobre a rejeição do bebê a um purê, que inclui um bife inteiro, quantidade de todo inadequado para um bebê.
  • Por último, o conselho final que se dá de não dar mais do que dois ovos por semana para prevenir o colesterol carece de qualquer base científica.

Em seguida publicar o artigo original de Júlia Farré, nutricionista-nutricionista de Alimmenta, que devia servir de base para a elaboração do artigo final.

A alimentação durante a infância é muito importante. As necessidades de muitos nutrientes são elevadas e se não se chegar às quantidades recomendadas podem aparecer alterações e desequilíbrios importantes.

As proteínas são as moléculas que se encontram em maior quantidade nas células humanas. Têm uma função estrutural importante, são os “tijolos” que constituem o corpo (órgãos, músculos, etc).

As principais fontes de proteína durante a infância são os laticínios (leite, queijo, iogurte), as carnes, os peixes, os ovos, as leguminosas e os cereais. Durante as fases de crescimento da OMS recomenda que 65% das proteínas são de origem animal (leite, carne, peixe, ovos) e 35% de origem vegetal (leguminosas e cereais).

Geralmente, as dietas das crianças costumam ser ricas e suficientes em proteínas. Somente há perigo de carência protéica em crianças que seguem uma dieta vegetariana estrita não controlada por um profissional ou em casos de alergias, onde os alimentos permitidos sejam muito diminuídos.

A ingestão diária de proteína é necessária para executar várias funções no organismo:

  • Enzimática: As enzimas são formadas por proteínas e são as responsáveis para que se possam realizar as reações bioquímicas do corpo. Por exemplo, a reação necessária para digerir um açúcar.
  • Reguladora: As proteínas ativam as funções e a atividade das células.
  • Transporte: Algumas proteínas do organismo, têm a função de transporte de substâncias pelo sangue. Por exemplo, o oxigênio viaja pelo corpo, graças às proteínas.
  • Estrutural: As proteínas são necessárias para a formação de novos tecidos que permitam manter um bom tônus muscular.
  • Defensiva: As defesas do corpo são proteínas. Uma boa ingestão de proteínas aumenta a imunidade da criança.
  • Energética: As proteínas devem fornecer entre 12-15% da energia que a criança consome ao longo do dia.

A forma de introduzir as proteínas deve ser a mesma que com os outros alimentos. Com pouco a pouco e com naturalidade. Tem que acostumar as crianças ao sabor dos alimentos com os alimentos e, posteriormente, nas texturas, cortando os alimentos em pedaços pequenos e deixando que os comem com as mãos. Um dos principais motivo de recusa dos alimentos é não deixar que crianças toquem, deformem, brinquem e se tornam sujo do que eles.

Se algum alimento não gostam, há que pesquisar de que forma se podem comer, de não desistir e persistir. Pesquisar maneiras para “camuflar” os produtos e os sabores, por exemplo, com triturados, molhos ou recheios.

Clínica de emagrecimento Alimmenta, emagrecer em Barcelona

Olá. Só posso mostrar a minha satisfação pela forma como correu o meu re-educação alimentar, com Alimmenta, em especial com Laia quem me tem atendido a partir de Fevereiro. Eu tinha um excesso de peso leve (1,65 m e 73 kg), comia muito pouco (como eu disse Laia na primeira consulta) e meu peso foi aumentando. Para isso, se lhe unia uma grande dificuldade para dormir e um cansaço extremo, tanto pelo mal dormir como pela falta de nutrientes, como também me explicou Laia. Agora mesmo peso 67 kg, não foi uma perda de peso rápida, mas muito gradual, meu descanso (salvo situações familiares difíceis que estamos passando é bom, meu cansaço não existe (só o emocional por essa situação familiar), aprendeu a comer bem sem que eu me peso tirar, senão todo o contrário (eu continuo perdendo algumas centenas de gramas a cada 15 dias), perdi a celulite que tinha nas pernas. Eu interiorizado a forma de comer que Alimmenta me ensinou e agora eu sei o valor de cada nutriente: proteína, hidrato de carbono e fibra, e qual sacrificar esses dias que eu tenho pouca vontade de comer. Recomendo totalmente a equipe de Alimmenta, são excelentes profissionais, próximos, compreensivos e sempre tem uma palavra de ânimo quando se pensa em jogar a toalha, eles/as se reconducen com carinho.

Luísa

causas, dieta e dicas para resolvê-lo.

Quais são os sintomas

edema localOs tornozelos e as pálpebras são zonas típicas onde se dá a acumulação de líquido. Neste caso, trata-se de um edema local. A pele aparece esticada ou brilhante e se clicar com o dedo, fica uma impressão que vai despareciendo pouco a pouco. Esses sintomas são muito comuns em épocas de verão, com as altas temperaturas.

Também pode formar-se um edema regional, por exemplo, em uma ponta, ou geral que afeta todo o organismo.

Quais são as causas que o provocam

São várias as causas que podem provocar a acumulação de líquidos:

  • Uma incorrecta hidratação.
  • Má alimentação: o consumo elevado de alimentos ricos em sal
  • Passar muitas horas em pé ou sentado, ou seguir um estilo de vida sedentário
  • Alterações hormonais como gravidez ou da ovulação. A gravidez é uma fase em que a mulher onde ocorrem muitas mudanças hormonais que podem causar retenção de líquidos.
  • Consumo de certos medicamentos, como estrógenos, corticóides, anti-inflamatórios não-esteróides, medicamentos para a tensão arterial.
  • Doenças decorrentes do coração, fígado ou rins, além de alteração da tireoide.

Dicas para evitar ter uma retenção de líquidos

Se você sofre de problemas de retenção de líquidos, eu recomendo que preste atenção aos seguintes conselhos:

Segue uma alimentação variada e equilibrada.

Potência o consumo de alimentos ricos em potássio, já que este mineral regula os níveis de água no organismo. Estes alimentos são, entre outros, a abobrinha, os cogumelos, as batatas e os legumes ou frutas, como banana, abacaxi ou pêssego.

Modera o consumo de sal

Utiliza pouca quantidade de sal para temperar os pratos e evite todos os alimentos ricos em sal, como as conservas, os produtos congelados, alimentos cozidos, batatas fritas, peixe defumado, azeitonas, queijos ou enchidos.

Mantenha um peso saudável

Se você sofre de sobrepeso ou obesidade aconselho-te que de descer de peso de uma forma saudável com a ajuda de um nutricionista-nutricionista.

Beba no mínimo 1,5 l de água a cada dia

retenção de liquidosÉ importante que se hidrates corretamente. Muita gente pensa que quando há retenção de líquidos é melhor não beber água e, precisamente, é o contrário. A água ajuda na depuração do organismo para eliminar toxinas e restabelecer o equilíbrio hídrico do que antes falávamos. Pode incluir infusões de plantas com propriedades diuréticas como a cauda de cavalo, o sabugueiro, dente-de-leão ou bétula. Você também pode fazer sopas de cebola, aipo e salsa, para tomar entre as refeições.

Segue uma vida ativa

Pratique exercício físico ou alguma atividade que você goste, como dançar, andar de skate ou nadar. Desloque-se a pé e evita pegar o elevador. Se você gosta de chás de ervas, plantas, como as folhas de mirtilo ou ginkgo podem aliviar a sensação de inchaço e pernas pesadas.

Tudo isso irá ajudá-lo a que o sangue flua melhor e ter um bom retorno venoso.

Usar meias elásticas

Exercem pressão sobre os vasos sanguíneos, melhorando o retorno venoso.

Agora você já sabe um pouco mais sobre a retenção de líquidos, quais são as possíveis causas que o provocam, bem como as recomendações que você deve seguir. Coloque em prática as dicas e se você quiser receber um acompanhamento por parte de um nutricionista-nutricionista pode entrar em contato com Alimmenta. Somos uma equipe de profissionais com vontade de ajudar.

Basquete ou basquete: Dieta, alimentação e suplementação

No basquete; a agilidade, a habilidade com a bola, as mudanças de ritmo e direção, a potência para o salto, a velocidade, a organização e o sentido tático do jogador têm grande importância, este é um esporte que realizam esforços de curta-média duração e de alta intensidade e, embora as mudanças de jogadores para dar-lhes descanso são comuns, o retorno destes à trilha se dá com freqüência, assim, o tempo total de jogo é duradouro e, por isso, estão envolvidos os sistemas aeróbio e anaeróbio.

Os jogadores de uma equipe têm diferentes características físicas que lhes permitam desenvolver seu jogo em uma ou outra posição na pista; os bancos e acompanhantes são os mais ágeis e habilidosos com a bola e os jogadores de menor tamanho dentro do computador, os beirais têm uma altura intermediária, e a velocidade é um ponto forte destes jogadores e, finalmente, os pivots, estes são os jogadores de maior peso e altura, seu jogo se passa debaixo do aro e a força e a potência é a sua característica principal.

Como deve ser a alimentação de um jogador de Basquete?

* Variada e equilibrada em alimentos e nutrientes, fazendo um mínimo de 5 refeições ao dia, de forma ordenada e fracionada. E, adaptada ao gasto energético do atleta.

* Os hidratos de carbono fornecem a energia necessária para realizar o exercício; cereais em suas diversas versões e alimentos (arroz, aveia, quinoa, pão, macarrão…) e outros alimentos ricos neste nutriente, como a batata, os legumes, as frutas e os legumes, serão a principal fonte de energia e a ingestão mínima de hidratos de carbono é de 5-7 g/kg de peso corporal por dia, em treinos moderados (1-1:30 h/dia) e de 7 a 9 g/kg de peso corporal por dia, em exercícios de longa duração (2 a 3 h/dia), duração das sessões de treinamento, que são divididos em treinamento fora da pista para trabalhar o condicionamento físico e o treinamento em campo para trabalhar aspectos técnicos e a estratégia do jogo.

* O consumo de proteína (aves, carne, peixe, ovos, laticínios, legumes, frutos secos…) deve estar em torno de 1,2-1,4 g/kg de peso corporal por dia para reparar o dano muscular e promover, juntamente com os hidratos de carbono, uma adaptação e maximização dos efeitos do treinamento, entre outras funções.

*Os lipídios, representam entre 20 e 30% da energia da dieta, priorizando a ingestão de gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, presentes no óleo de oliva, abacate, peixes, frutos secos, etc.

* As vitaminas e minerais devem ser ingeridos em proporções corretas, uma alimentação variada e suficiente em energia, deve assegurar o aporte necessário de micronutrientes. Tomar doses altas em forma de suplementos (se estes não são justificados por algum défice em concreto) não terá nenhum benefício para o atleta e pode acarretar um excesso crônico de micronutrientes.

Alimentação durante a pré-Temporada

É normal que alguns jogadores precisam ajustar o nível de gordura corporal para ser úteis e ganhar mais velocidade em seus movimentos e outros necessitaram de aumentar a massa magra e a força, de acordo com a posição em campo que ocupa cada jogador. Assim, nesta fase, foram feitos ajustes no planejamento nutricional segundo o objetivo de cada jogador.

O que comer durante os treinos

Os treinos vão implicar uma diminuição das reservas musculares de glicogênio. É por isso que sempre tem que fazer uma ingestão rica em hidratos de carbono, cerca de 2-3 horas antes de começar a sessão de treinamento: cereais, pão, laticínios desnatados, geléia, mel, frutas ou frutas secas.

Nos treinos de alto desempenho que tenham uma duração de mais de 60 a 90 minutos, recomenda-se consumir 30-60 g/hora de hidratos de carbono: bebida isotónica, gel, barra esportiva ou até mesmo frutas.

Dieta e suplementação durante a competição de basquete

Antes: 24-48 h anteriores, para assegurar uma ingestão de hidratos de carbono de entre 7-9 g/hidratos de carbono por kg de peso e por dia, se não tem jogo de competição recomenda-se diminuir a atividade física, para conseguir aumentar e encher os depósitos musculares de glicogênio.

Refeição pré-competição: 2 a 4 horas antes do jogo, ingerir entre 2-4 g de hidratos de carbono/kg de peso, a refeição deve ser rica em carboidratos, moderada em proteínas, baixa em gordura para facilitar a digestão e alimentos pouco fibrosos para evitar problemas gastrointestinais, boas opções seriam: lácteo sabor, cereal, pão, alimento de proteína sem gordura, frutas e ingestão de água.

Recomenda-se também a hidratar o corpo com 5-7 ml/kg de peso, isto é, entre 2-3 copos de água, cerca de 3-4 horas antes de começar, se prevê um treino muito intenso ou antes de disputar uma partida, recomenda-se que um dos vasos seja de água e outro de bebida isotónica. Além disso, 1 hora antes, recomenda-se beber um copo de líquido.

Durante os tempos mortos e/ou no intervalo dos jogos é recomendável hidratar o corpo, priorizando a bebida isotônica, que além de líquido dará açúcares, sódio e outros minerais para o jogador.

Depois: dentro da primeira hora após o encerramento do jogo, deve se hidratar e se alimentar adequadamente. Por isso, se pode optar por uma bebida de recuperação com aporte de sódio e hidratos de carbono e proteína hidrolisada em uma proporção de 4:1, onde se deve tomar 1 g de hidratos de carbono por kg de peso e 0,2 g de proteína por kg de peso. Isso também poderia começar com as proporções adequadas de bebida esportiva, leite com sabor, cereais ou pão com proteína magra e frutas.

Mais tarde, com a ingestão de refeições sólidas continuarão a ser restabelecendo os níveis musculares de glicogênio, estas devem ser ricas em hidratos de carbono e com algum alimento proteico para promover a síntese de proteínas e a recuperação do glicogênio muscular.

Suplementação

Os suplementos que parecem demonstrar algum benefício, e com os quais se pode considerar suplementado são da creatina e da cafeína, apesar de que ainda são necessários mais estudos para poder obter resultados mais conclusivos.

A creatinapermite aumentar os níveis de fosfocreatina no músculo, facilitando assim que se gere mais ATP, combustível necessário para realizar os exercícios com intervalos de alta intensidade e aqueles destinados a desenvolver a massa e a força muscular.

A cafeína, reduz a percepção do cansaço e da fadiga, estimulando o sistema nervoso e melhorando a função muscular e termorreguladora, a dose recomendada é de 2 a 6 mg/kg, tendo em conta que o efeito máximo é alcançado a 60 minutos da ingestão.

Conclusões

Em conclusão, os jogadores de basquete como qualquer outro atleta, precisa ter cuidado com a alimentação para poder render ao máximo e melhorar seus resultados. As diretrizesalimentares como as de ingestão de líquidos terão que ser totalmente individualizadas por parte de um nutricionista-nutricionista, de acordo com as características físicas e o treinamento que faça o atleta.

Em Alimmenta você terá uma equipe de nutricionistas-nutricionistas esportivos que irão ajudá-lo a atingir os seus objectivos.

Baby led weaning ou alimentação complementar dirigida pelo bebê

Olá. Só posso mostrar a minha satisfação pela forma como correu o meu re-educação alimentar, com Alimmenta, em especial com Laia quem me tem atendido a partir de Fevereiro. Eu tinha um excesso de peso leve (1,65 m e 73 kg), comia muito pouco (como eu disse Laia na primeira consulta) e meu peso foi aumentando. Para isso, se lhe unia uma grande dificuldade para dormir e um cansaço extremo, tanto pelo mal dormir como pela falta de nutrientes, como também me explicou Laia. Agora mesmo peso 67 kg, não foi uma perda de peso rápida, mas muito gradual, meu descanso (salvo situações familiares difíceis que estamos passando é bom, meu cansaço não existe (só o emocional por essa situação familiar), aprendeu a comer bem sem que eu me peso tirar, senão todo o contrário (eu continuo perdendo algumas centenas de gramas a cada 15 dias), perdi a celulite que tinha nas pernas. Eu interiorizado a forma de comer que Alimmenta me ensinou e agora eu sei o valor de cada nutriente: proteína, hidrato de carbono e fibra, e qual sacrificar esses dias que eu tenho pouca vontade de comer. Recomendo totalmente a equipe de Alimmenta, são excelentes profissionais, próximos, compreensivos e sempre tem uma palavra de ânimo quando se pensa em jogar a toalha, eles/as se reconducen com carinho.

Luísa

Artigo sobre a ortorexia na revista Muito Interessante

Na edição deste mês da revista Muito Saudável (o número especial de Saúde da revista Muito interessante) você pode ler um excelente artigo escrito pela jornalista Eva Carneiro sobre a obsessão por comer de forma saudável e que pode desencadear uma doença psicológica chamada Ortorexia.

Nas redes sociais, encontramos perfis que apenas compartilham imagens de pratos hipersaludables, onde mede as calorias, gramas de gordura ou de proteína… Se bem levar um padrão de dieta saudável é um fator-chave para a nossa saúde, esta dieta também pode incluir alimentos que não têm de ser a quinta essência da saúde.

Nos encontramos nas consultas, alguns pacientes (muito poucos, na verdade) que foram eliminando os doces, então os produtos processados e, mais tarde, os carboidratos, os legumes, as carnes e os vegetais não-orgânicos. São pessoas que se tornam mais exigentes (até limites patológicos) e a variedade de alimentos de seus menus diminui a tal ponto que, em ocasiões extremas, pode chegar-se à desnutrição.

Em consulta sempre falamos de uma dieta saudável, não de um prato ou de uma refeição saudável. Se o domingo queremos tomar o pequeno-almoço umas torradas com geléia, na companhia de nossa família, qual é o problema?

Você pode ler também o artigo no site Muito Interessante.

Muito interessante ortorexia

Antropometria para atletas

Como você pode ver no vídeo, a antropometria envolve o uso de marcas corporais de referência, cuidadosamente definidas, o posicionamento específico dos sujeitos para estas medições, e o uso de instrumentos apropriados. Se mede a massa (peso), comprimentos e alturas, diâmetros, profundidades, perímetros e dobras cutâneas , entre outros.

Pilares básicos da cineantropometría

A práxis da cineantropometría a compõem 3 pilares básicos:

  • O estudo da proporcionalidade
  • O estudo somatotipo ou do biótipo
  • O estudo da composição corporal

Esta última é, possivelmente, o mais importante no âmbito da atividade física e o esporte e nutrição, já que a capacidade de um indivíduo para realizar qualquer tipo de esforço está intimamente relacionada com a maior ou menor presença de seus tecidos corporais.

A composição corporal é o método de fracionamento do peso ou de massa corporal em compartimentos (massa do esqueleto, músculos, gordura, etc.) e a relação entre seus componentes e a atividade física, aplicável tanto para atletas de elite como a população sedentária.

Para que serve a aplicação da cineantropometría no nosso domínio?

Há muitas aplicações da cineantropometría no campo da nutrição clínica, esportiva e de medicina preventiva. Esta permite

  • Estimar a composição corporal do indivíduo para, assim, avaliar o tipo de intervenção nutricional levar a cabo juntamente com o exercício mais recomendado. Por exemplo, no caso de um paciente sedentário, acima do peso (de acordo com IMC) e fatores de risco cardiovascular, que as provas cineantropométricas detectada a presença de um excesso de massa gorda se você vai ter que recomendar uma alimentação hipocalórica e de baixo teor de gordura, enquanto se lhe recomendará trabalhar sobre todo o exercício aeróbico.
  • Estabelecer os objetivos de trabalho com a pessoa, base para a melhoria dos componentes da composição corporal, seja na clínica, esportiva ou medicina preventiva.
  • Avaliar e observar as modificações e melhorias na composição corporal antes e depois de uma intervenção alimentar e de atividade física. Em descidas rápidas de peso, o componente corporal que se vê altamente diminuído é a massa muscular, o que gera um problema, já que a gordura mantém. A perda de musculatura, por sua vez, diminui o metabolismo da pessoa, com o que ingerir a mesma quantidade de energia na forma de calorias, aumenta de peso em forma de gordura (efeito rebote). As perdas de peso lenta e potencializando a atividade física conseguimos que o componente que diminua seja o gordo, e o muscular aumente ou se mantenha.
  • Para Saber o estado nutricional da pessoa em questão, (por exemplo, deficiência ou excesso de reservas corporais) e, assim, detectar casos de desnutrição por defeito (protéico-energética), muito comum em geriatria e anorexias, ou desnutrição por excesso, como o excesso de peso ou obesidade.
  • Estudar a distribuição da massa gorda (android ou robô), através do índice cintura/quadril, circunferência abdominal, ou alguns métodos BIA. De especial interesse para a prevenção de determinadas doenças, como a obesidade, diabetes, dislipidemias, e tentar diminuir o seu risco, principalmente se a obesidade do tipo andróide.
  • Projetar estudos sobre qual é a composição corporal, que tem menos riscos de sofrer de doenças, e assim estabelecer, por meio de medições antropométricas, uma “somatozona saudável”, ainda não definida.
  • Estudar os efeitos de diferentes dietas sobre a composição corporal, e assim, avaliar a sua adequação. Por exemplo, avaliar as “dietas milagre” comparando com as dietas baseadas em uma alimentação saudável. As dietas milagre entram dentro das descidas rápidas de peso à perda de musculatura. Dietas baseadas em alimentação saudável, à manutenção da musculatura.
  • Estimar o metabolismo basal em repouso da pessoa a partir de fórmulas que contemplam o peso, altura e massa livre de gordura. Multiplicando-se por coeficientes de atividade pode-se estimar o gasto energético total (GET), ou mesmo o mais recomendado seja avaliar a ingestão espontânea real.
  • Detectar o desacondicionamiento físico em pacientes com doenças do aparelho locomotor, como a perda da musculatura, e iniciar as intervenções terapêuticas que tenham em conta, e, claro, testá-las. Em pacientes com artrose de joelho, fadiga crônica, fibromialgia… se recomendar exercícios que possam fazer dadas as circunstâncias, como, por exemplo, exercícios isométricos que possam fazer esticados na cama ou sentados em uma cadeira.
  • Avaliar a melhoria da condição física e o desempenho dos atletas em relação à diminuição da massa de gordura e o aumento da massa muscular depois de uma intervenção dietética, se assim o exigem.

Conclusão

No âmbito das Ciências do Esporte, é muito útil para a avaliação da condição física, o controle do treinamento, a análise do desempenho energético, o estudo dos efeitos da atividade física e o esporte competitivo na estrutura e composição corporal do indivíduo, seleção de talentos e para estudos biomecânicos.

Em Alimmenta podemos realizar um estudo antropométrico que permite estimar a sua composição corporal, conhecer o seu biotipo, e conhecer os progressos que você faz com o seu tratamento dietético e/ou treinamento.

Alimentação vegetariana para crianças

O sábado passado foi nossa companheira Cristina Lafuente no programa Da Ciutat de Onda Zero junto ao médico pediatra Jamil Ajram. No programa trataram a alimentação vegetariana e vegana para bebês e crianças, um tema que tem alguma polémica com o pouco frequente que é e como os pais sentem-se muitas vezes julgados.

Uma dieta vegetariana como uma dieta onívora, não é saudável por si só. Podemos ver centenas de exemplos de dietas que incluem alimentos de origem animal, que são um desastre, como uma dieta vegetariana, pelo que o conselho de um nutricionista-nutricionista é muito útil para toda a população.

O que tem de especial uma dieta vegetariana para crianças?

  • Até os 6 meses aconselha-se o leite materno, e pode começar com a alimentação complementar, como os onívoros e no momento que permitiria incorporar os produtos animais, em vez de incorporar a carne e o peixe, dar-lhe-emos vegetal (sem casca), tofu, seitan, soja texturizada, iogurtes, vegetais sem açúcar, frutos secos, em creme ou sementes trituradas (tahina). Iremos introduzir os alimentos um de cada vez, em pequenas quantidades, avaliar a tolerância.
  • A ingestão de proteína não apresenta nenhum problema. É uma pergunta freqüente nos meios de comunicação, mas, na realidade, raramente vemos um problema de ingestão insuficiente de proteínas.
  • A ingestão de cálcio da faremos a partir de bebidas vegetais ricas em cálcio, tofu (obtido com cálcio), brócolis, especula ou quimbombó, repolho, espinafre, couve, figos, amêndoas, gergelim, sementes de soja, sucos ou cereais de pequeno-almoço enriquecidos.

Deixamos-vos com o áudio do programa

Alimentação dos bebês de 18 meses a 3 anos

Antes de tudo, muita calma

Como em cada período, onde se realizam mudanças importantes nos hábitos da criança, é fundamental manter uma atitude de calma, suavidade e lentidão. Pode ser que nos encontremos diante de crianças que toleram bem as mudanças e os incorpora rapidamente e outros que exigem mais tempo e o seu período de transição, que é mais longo. Ambos os casos são tão normais e o objetivo final será o mesmo, que o bebê faça parte dos hábitos alimentares da família.

Se até o momento ainda come todos os alimentos em forma de triturado, é um bom momento para iniciar a mudança fazia uma alimentação que precise de mastigar. Em muitos casos, durante a alimentação complementar, o bebê já tem vindo a testar outras texturas diferentes do triturado e neste momento é melhor tolerado.

É uma boa opção colocar o bebê na mesa junto com a família e dar-lhe a experimentar os alimentos inteiros. Por exemplo, e, sobretudo, no início da transição, o bebê pode ter o seu triturado habitual e, além disso, colocar a seu alcance os alimentos do menu familiar, como macarrão bem cozido, pedaços de legumes cozidos, pão, tomate natural, sem pele nem sementes, etc.

Pouco a pouco o bebê, e seguindo como exemplo para o resto da família, vai escolher como opção para a sua refeição, alimentos inteiros. É importante oferecer alimentos adequados para ele, de texturas macias e sabores suaves. A massa e o arroz deve ficar bem cozido, as batatas com legumes podem contrair, a carne e o peixe deve estar bem suculento, evitando que fiquem secos e queimados.

Introdução de alimentos na dieta do bebê

Os triturados, pouco a pouco, se os iremos oferecendo como segunda opção, se necessário, priorizando os alimentos inteiros.

É possível que nos dê a sensação de que haja refeições que coma pouco e queremos oferecer-lhe o triturado para ficar mais tranquilos. Isto pode acontecer devido a que o mastigar alimentos e, sobretudo, se são ricos em fibras, como as leguminosas, a criança se sinta antes e já não tenha apetite. Devemos respeitar sempre as suas sensações de fome e saciedade e, por isso, quando eles são tão pequenos, devemos evitar alimentos muito ricos em fibras e optar por massas e arroz refinados para evitar esta sensação de saciedade. Se a criança não quer comer mais quantidade, não deveremos nunca obrigá-lo a tomar o triturada, nem outros alimentos. É possível que o tempo possa ter fome outra vez e, então, lhe ofereceremos mais alimentos.

A criança adulto

Uma vez que praticamente todos os alimentos os mastiga e deglute corretamente, deve-se questionar e planejar outro tipo de menu que se adapte às suas necessidades, já que agora passa a comer como uma criança adulto.

Alguns conselhos práticos que podem servir como guia para uma alimentação adequada de crianças, tendo em conta que a primeira infância é um dos períodos mais críticos, em que a influência do comportamento alimentar familiar dar forma a seus gostos e preferências e a seus futuros hábitos alimentares, de grande implicação para a saúde futura.

  • Fazer 5 refeições por dia, respeitando sempre a sensação de fome e saciedade da criança. É possível que ainda continue com o aleitamento materno e recomenda-se ofrecérla cada vez que a criança pedir.
  • Fazer uma correta ingestão de cálcio. A partir do primeiro ano e até 10 anos para a ingestão diária de cálcio é de 800mg sendo boas fontes deste mineral, o leite e os produtos derivados, como iogurte e queijos frescos.
  • A quantidade de frutas e vegetais serão 5 porções ao dia, como o resto da família, tendo em conta que a quantidade de suas rações serão menores.
  • Em todas as refeições devem estar presentes os hidratos de carbono e serão a base de sua alimentação. O pão, as massas, o arroz, a batata e legumes. Preparados de forma adequada para a sua boa mastigação e deglutição e evitando preparações ou molhos com muita gordura.
  • Os alimentos de origem animal, não se devem incluir em grandes quantidades. Em um estudo recente, do projeto ALSALMA, onde avaliam a alimentação e o consumo de nutrientes em crianças menores de 3 anos, destacou-se o elevado consumo de proteínas que ingerem as crianças, além de ser quase 4 vezes as recomendações diárias.

As quantidades desses alimentos devem ser pequenas recomendándose entre 30-50g de carne ou peixe e não ultrapassar um ovo por dia. Por conter quantidades elevadas de proteínas, com os legumes não se recomenda incluir nenhum alimento de origem animal e podem ser cozido com vegetais.

O excesso de proteínas na dieta pode provocar, entre outras condições ao organismo, a sobrecarga do fígado e dos rins, e mais chances de obesidade.

  • O azeite de oliva é o indicado para cozinhar e tempere os alimentos. A ração recomendada serão cerca de 2 colheres de sopa.
  • A bebida de escolha mais recomendada é a água. Até agora, é possível que a demanda de água não seja muito elevada, e menos ainda se continua com o aleitamento materno, mas a mudança alimentos mais secos faz com que aumente a sensação de sede.
  • É aconselhável incluir na alimentação diária, a pastelaria industrial, doces, carnes vermelhas e frios, gordurosos, fritos, batatas chips e bebidas açucaradas e excitantes (café, chá, cola). Todos eles contribuem com grandes quantidades de gorduras e de açúcares prejudiciais para a saúde. Uma boa opção é evitar comprar esses alimentos, já que não devem fazer parte dos hábitos alimentares da família, e deixá-los para ocasiões muito especiais.

Não é algo relevante quanto tempo pode durar o período de transição em que o bebê passa a comer como o resto da família, e vai depender de cada criança em particular, mas será importante promover a autonomia da criança na mesa e lembrar que os momentos em que a criança se alimenta, são momentos de aprendizagem, por isso é adequado falar enquanto come e não se esqueça que a melhor maneira de ensinar hábitos alimentares saudáveis é pregar com o exemplo, eles te observam o dia todo.